terça-feira, 7 de dezembro de 2010

SKI SKATE AMADORA PARQUE SERÁ PALCO DE



No próximo Sábado, 11 de Dezembro, o Ski Skate Amadora Parque prepara-se para acolher os melhores riders de todo o País. Ninguém quer faltar à última competição de BMX Freestyle de 2010, o ‘Ride For Fun’.

E ‘Fun’ é mesmo a palavra de ordem neste evento, com um carácter competitivo muito informal que pretende acima de tudo promover o convívio entre os atletas desta modalidade.

A prova será disputada em formato Best Trick e haverá prémios para todos os participantes. O Best Trick será disputado em diferentes rampas e zonas do Skate Parque Indoor: Rail, Curb, Incline e Rampa.

As inscrições começam às 10h e terminam às 13h, têm um custo de 6 euros, mas incluem o seguro desportivo obrigatório, assim como a entrada gratuita para um acompanhante.

A competição começa às 15h. Para quem quiser assistir, a entrada no parque tem um custo de 3 euros. As crianças até aos 12, pagam 1,50€.

Mais informações pelo número 936 139 798 ou pelo email geral@skiskate-amadora.com.

sábado, 4 de dezembro de 2010

A última reunião Pública da Junta em 2010 realiza-se no próximo dia 16-12-2010 (5ª feira)


Vai ter lugar no dia 16-12-2010 (5.ª feira), pelas 18h00, na Sede da Junta de Freguesia da Venteira, sita na Rua 1.º de Maio, 39 A, a Reunião Pública da Junta referente ao mês de Dezembro, que será a última do ano.

Como o próprio nome indica esta reunião, é aberta á população, pelo que a participação dos cidadãos será sempre uma mais valia.

Uma boa oportunidade, sem dúvida, para que os nossos concidadãos coloquem questões do interesse da Freguesia.

Participa!!!!

Contacto da Junta: 21 498 55 80

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Câmara Municipal da Amadora garante apoio alimentar a mais de 250 idosos e/ou dependentes durante os fins-de-semana e feriados

Lançado há pouco mais de um ano, o projecto “AmaSénior – Apoio Alimentar” abrange actualmente 265 utentes. Criado com o objectivo de ser uma resposta ao nível do fornecimento de refeições aos fins-de-semana e feriados a pessoas idosas e/ou dependentes que se encontrem em situação de dependência e isolamento social, de forma a garantir alimentação equilibrada e bem-estar das suas habitações.

Para garantir a continuidade do projecto, a Câmara Municipal acaba de aprovar a descentralização de verbas às três instituições concelhias parceiras do AmaSénior – Apoio Alimentar (a AFID, a Santa Casa da Misericórdia da Amadora e SFRAA) que disponibilizam as suas instalações/cozinhas para a confecção dos alimentos, bem como os seus colaboradores para o fornecimento das refeições ao domicílio.

Balanço do AmaSénior – Apoio Alimentar
Em termos de género, dos 265 utentes do projecto, o sexo feminino tem uma maior expressividade correspondendo a 64% dos utentes (170). Dos 36% utentes do sexo masculino (95), a maioria vive com o conjugue.
Da totalidade dos utentes, verifica-se que grande parte vive sozinho, isolado, sem apoio e é parcialmente dependente.
Relativamente ao escalão de rendimento/comparticipação, dos 237 dos utentes a beneficiar do serviço encontram-se no 1.º escalão, ou seja, têm um rendimento per capita inferior a 342,85 euros. Ou seja, utentes que não pagam o serviço, suportando a Câmara Municipal da Amadora a totalidade do valor da refeição (3,70 euros).

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Câmara Municipal reduz taxa variável de IRS em 1%


Tendo em conta a actual crise financeira do país, a Câmara Municipal da Amadora decidiu reduzir em 1% a participação variável em IRS dos sujeitos passíveis com domicílio fiscal na área do Município dos rendimentos relativos a 2010.


De acordo com a Lei das Finanças Locais, cada Município “tem direito, em cada ano, a uma participação variável até 5% do IRS” cobrado no seu concelho. A Câmara Municipal da Amadora aprovou prescindir de uma parcela deste imposto a favor dos seus munícipes, fixando em 4% a participação variável do IRS.


Esta medida representa uma redução na ordem dos 20% na receita da Autarquia, mas torna-se extremamente necessária por ser considerada uma medida social importante numa altura em que se pede um esforço financeiro de todos.


A utilização da faculdade de prescindir de uma parcela do IRS em favor dos seus munícipes, deve ser entendido como o contributo da autarquia para a redução da carga fiscal com maior impacto ao nível das famílias com menores rendimentos e em que se centra o essencial do esforço em matéria de pagamento de IRS.


Esta proposta será ainda submetida à aprovação da Assembleia Municipal da Amadora.

sábado, 23 de outubro de 2010

Petição Equivalência de Mestre aos titulares das anteriores licenciaturas com formação de 5/6 anos


Exmo. Senhor Presidente da Assembleia da República, Os cidadãos a seguir assinados e identificados vêm, por este meio requerer que seja dada equivalência de Mestre aos titulares das anteriores licenciaturas com formação de 5/6 anos, na designação anterior à reforma de Bolonha. Com a Reforma do Ensino Superior (Decreto-Lei 74/2006, de 24 de Março), o título académico de licenciado passou a ser atribuído ao fim de um ciclo de estudos de 3 ou de 4 anos, quando no passado o título equivalente era designado por bacharel. Pelo contrário, antes da Reforma, à formação superior de 5 anos era atribuído o título de licenciado. Perante a existência no mercado de trabalho de diferentes formações e competências, a que corresponde o mesmo título académico, torna-se necessário referenciar o mesmo com a indicação do período em que foi obtido. Acresce que a Portaria nº 782/2009, que estabelece a Regulamentação do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ), ignora a diferença anteriormente referida, pois no Anexo III atribuiu o mesmo nível ao bacharelato e à licenciatura (nível 6), sem diferenciar se os títulos foram obtidos antes ou depois da Reforma. Esta classificação desvaloriza, de forma gravosa, injusta e incompreensível, a qualificação profissional de centenas de milhar de licenciados pré-Bolonha na medida em que, não só colide com o reconhecimento das suas qualificações profissionais, aceite há dezenas de anos pela Sociedade, como também colide com o próprio ordenamento jurídico nacional, em especial na parte referente ao reconhecimento nas formações de nível superior, nomeadamente com o estabelecido na Lei n.º 9/2009, de 4 de Março, relativa a reconhecimento de qualificações profissionais. Exposição de Motivos: Nos termos dos acordos do processo de Bolonha, de que Portugal é desde o primeiro momento signatário, ocorreu recentemente no nosso País uma reestruturação profunda do quadro legal do sistema do ensino superior. O Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho, tendo como referência a segunda alteração à Lei de Bases do Sistema Educativo adoptada pela Lei n.º 49/2005 de 30 de Agosto, estabelece, na perspectiva da preparação para a generalidade das profissões, dois graus académicos de formação superior principais: a) O grau de licenciado, correspondente ao 1º ciclo de estudos do Espaço Europeu do Ensino Superior, acordado pelos ministros do ensino superior na sua reunião em Bergen, Noruega, em Maio de 2005, no âmbito do processo de Bolonha - cf. especialmente o artigo 5.º do Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008, de 25 de Junho, supra-citado. b) O grau de mestre, correspondente ao 2º ciclo de estudos do Espaço Europeu do Ensino Superior, acordado pelos ministros do ensino superior na reunião de Bergen, supra-mencionada - cf. especialmente o artigo 15.º do referido Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, alterado pelo Decreto-Lei n.º 107/2008. Entendeu o poder político adoptar a designação de licenciatura para os novos primeiros ciclos de formação. Esta decisão, dificilmente entendível, mas que naturalmente se respeita no quadro democrático, levantou desde o primeiro momento, em muitos cidadãos, uma grande preocupação sobre futuras confusões entre designação e competências associadas, com a correspondente injustiça que se poderia perspectivar. As licenciaturas anteriores à reforma correspondiam, na generalidade, a formações acumuladas correspondentes a ciclos longos, que conferiam qualificações de base reconhecidas pela Sociedade como adequadas para o início de exercício de profissões com responsabilidade e níveis de complexidade elevadas. A portaria n.º 782/2009 adopta no seu Anexo III um alinhamento de reconhecimento de qualificações de ‘Bacharelatos e Licenciaturas’, sem qualquer reconhecimento da diferença inequívoca de qualificações entre as novas licenciaturas, primeiros ciclos que têm de facto relação com os antigos bacharelatos, e as antigas licenciaturas, que representam um nível acima do dos bacharelatos. Não é curial que, fazendo o Anexo III, e bem, menção expressa a um grau do anterior sistema, o bacharelato, não faça igualmente menção expressa ao outro grau desse mesmo sistema, a licenciatura. Não pode ser omitido que o termo “licenciado” se refere a níveis de formação académica marcadamente diferentes, consoante diga respeito ao sistema anterior, ou ao que está actualmente em vigor. A realidade é que, tal facto, é inaceitavelmente lesivo dos direitos dos titulares de licenciaturas anteriores à presente reforma. É necessário que fique claro, para os empregadores e para a sociedade em geral, que apesar de se estar a adoptar, por decisão legal, a mesma designação, está efectivamente a referir-se a níveis de qualificação diferentes, sendo adequado que a actual licenciatura esteja associada ao nível 6 (no mesmo nível do antigo bacharelato) e a antiga licenciatura dos regimes de ciclo longo anteriores ao Decreto-Lei n.º 74/2006, de 24 de Março, de que são titulares muitas centenas de milhares de licenciados, figure no nível imediatamente superior, nível 7, nível com correspondência ao do actual mestrado. E ainda: - Estando convictos que a equiparação proposta é uma ideia de princípio válida, e defensora dos interesses de todos os licenciados, sejam ou não membros das Ordens Profissionais e profissionais que se formaram antes do Processo de Bolonha; - Tendo presente que a Lei define que são as Instituições de Ensino Superior que têm competência para atribuir este tipo específico de equivalência; - Tendo, ainda, em conta que as Ordens Profissionais têm tido conhecimento de procedimentos e exigências muito diferentes consoante a Universidade, para a atribuição de equivalência quando solicitada; - Tendo em consideração que é necessária uma base objectiva, uma questão concreta colocada para que a Assembleia da República se veja na necessidade de legislar; - Tendo em consideração a objectividade do actual comprometimento de diversas situações de progressão de carreira, de candidatura a concursos públicos, ou da definição da prioridade curricular dos licenciados pré-Bolonha, cujo percurso material compreende um total efectivo de cinco ou mais anos lectivos, agora prejudicado pela modificação meramente formal da designação da estrutura três mais dois, actual Mestrado (integrado); - Que não poderão ser compatíveis realidades distintas, como é o caso das licenciaturas antes e pós Bolonha, uma correspondendo ao actual primeiro e segundo ciclo, cinco/seis anos, e a outra apenas ao primeiro ciclo. Proposta: Os signatários requerem que seja dada equivalência de Mestre aos titulares das anteriores licenciaturas universitárias com formação de 5/6 anos, na designação pré-reforma de Bolonha.

Os signatários


Por todas as razões apresentadas supra, esta é uma petição que aprovo e apoio!!!

PARA ASSINAR A PETIÇÃO (Clicar)

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Sessão Extraordinária da Assembleia de Freguesia - Dia 13 de Outubro (4.ª Feira)



Amanhã, dia 13-10-2010 (4.ª Feira), pelas 21h00, na Sede da Junta de Freguesia da Venteira, sita na Rua 1.º de Maio, 39 A, vai ter lugar uma Sessão Extraordinária da Assembleia de Freguesia, cuja ordem de trabalhos é a seguinte:


Ponto Único - Apreciação para aprovação das taxas do Mercado da Venteira, conforme do disposto na alínea d), do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.
Participa! A participação é uma forma de cidadania!!!

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Dia 8 de Outubro, na Biblioteca José Régio - Inauguração da Exposição: Diversidade de Sandro Brito

"Engolindo os Céus" - Sandro Brito
Vai ter lugar no dia 8 de Outubro, pelas 18.30 horas, na Biblioteca José Régio, a inauguração da Exposição de Pintura: Diversidades de Sandro Brito.


A inauguração é aberta a todos os municipes.



A exposição vai estar patente entre os dias 8 de Outubro a 5 de Novembro de 2010.

Biblioteca José Régio

Av. D. Nuno Álvares Pereira, nº 8 B 2700-256 Amadora

Telefone: 214943548 / 934943548

Email: b.joseregio@jfventeira.pt

Horário: 9h30 às 17h30

domingo, 3 de outubro de 2010

Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia de 29 de Setembro será concluída no próximo dia 6 de Outubro

No passado dia 29 de Setembro decorreu a Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia da Venteira.

O período anterior à ordem de trabalhos foi muito participada por moradores que a apresentaram uma série de assuntos do interesse da Freguesia, o que valorizou significativamente esta sessão.

A ordem de trabalhos iniciou-se com a apresentação de uma proposta da Junta que propunha a redução de 15% das taxas mensais aplicadas à detenção de bancas e outros espaços comerciais do Mercado da Venteira.

Esta proposta viria a ser rejeitada com os votos desfavoráveis do PCP (2), CDS/PP (1) e CIPA (1), com as abstenções do PSD (2) e BE (1) e os votos favoráveis dos eleitos presentes do PS (3).

O representante do PCP considerou a redução dos valores das taxas, presentes na proposta apresentada pela Junta, insuficiente, tendo proposto uma redução de 50%. Esta posição foi subscrita pelo representante do CDS/PP.
O eleito do CIPA não subscreveu a proposta do PCP, embora tenha considerado a redução proposta pelo executivo da Junta insuficiente, tendo defendido que os valores de redução deveriam situar-se nos 25%.

Da minha parte votei favoravelmente a proposta da Junta por três factores principais:
Em primeiro lugar porque os valores taxados pelas bancas do mercado já são relativamente reduzidos. Para se ter uma ideia muitos dos comerciantes que possuem bancas no mercado pagam uma renda mensal na ordem dos €20,00.
Em segundo lugar é de registar que as rendas já não são actualizadas desde 2004, o que significa que não são aumentadas há 5 anos. Se tivermos em consideração a inflação...podemos até concluir que, em termos reais, as mesmas têm vindo a baixar ao longo dos últimos anos.
Por último devemos de ter em consideração que se vivem momentos muito difíeceis em todo o mundo e que as finanças da Junta exigem muito equilíbrio até porque existem compromissos salariais a respeitar. Neste particular não podemos esquecer que o mercado representa um prejuízo mensal para a Junta de mais de €2000,00.

Tudo isto não invalida que não seja sensível e solidário com os comerciantes que ainda resistem naquele mercado e que vivem momentos difíceis.

O ponto n.º 2 da ordem de trabalhos que seria colocado para apreciação e que dizia respeito a um "protocolo de colaboração institucional a celebrar entre a Junta de Freguesia e a Sociedade Portuguesa de Psicoterapia" foi aprovado por unanimidade.

Após esta votação, e dado o adiantado da hora, o Sr. Presidente da Assembleia interrompeu a sessão à luz do regimento da assembleia.
A sessão será retomada no próximo dia 6 de Outubro, pelas 21h00, no seu Ponto n.º 3 da ordem de trabalhos e diz respeito à apreciação da Informação da Sra. Presidente da Junta, conforme o disposto na alínea O) do n.º 1 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Fluxograma Esclarecedor...(No Comments...!)

Organização de um local de trabalho

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia - Dia 29 de Setembro (4.ª Feira)


No próximo dia 29-09-2010 (4.ª Feira), pelas 21h00, na Sede da Junta de Freguesia da Venteira, sita na Rua 1.º de Maio, 39 A, vai ter lugar uma Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia, cuja ordem de trabalhos é a seguinte:

Ponto n.º 1 - Apreciação para aprovação das taxas do Mercado da Venteira, conforme do disposto na alínea d) ,do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.
Ponto n.º 2 - Apreciação para aprovação do protocolo de colaboração institucional a celebrar entre a Junta de Freguesia e a Sociedade Portuguesa de Psicoterapia, conforme disposto na alínea g) do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.
Ponto n.º 3 - Apreciação da Informação da Sra. Presidente da Junta, conforme o disposto na alínea O) do n.º 1 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.

Relembro que no período antes da Ordem de Trabalhos existe sempre um tempo reservado à intervenção do público que poderá colocar questões ou pedir esclarecimentos sobre assuntos do interesse da Freguesia. Naturalmente o uso da palavra será concedido pelo Presidente da Mesa, mediante prévia inscrição dos interessados que será feita na hora.
Participa! A participação é uma forma de cidadania!!!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Amadora Festeja 31.º Aniversário


É durante o mês de Setembro que têm decorrem as comemorações do 31.º aniversário da criação do Município da Amadora, o primeiro a ser criado após o 25 de Abril, no dia 11 de Setembro.

A programação é variada pelo que abrange um leque alargado de público.

Concertos ao ar livre e em sala, dança, exposições, desporto, e a já tradicional Feira do Livro, entre muitas outras iniciativas, vão preencher um mês que se quer de festa.

A dança do muito aclamado Quórum Ballet, a música d’ Os Pontos Negros, Deolinda, Corvos, Mr Smith, Cristina Nóbrega e Ciganos d’Ouro, o teatro experimental da companhia Proto e as exposições de homenagem ao escultor Laranjeira Santos, são alguns dos acontecimentos que irão certamente fazer os amadorenses sair à rua.
Consulte toda a programação (clicar)

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Trabalhadores Despedidos por SMS

Trabalhadoras despedidas por SMS - Foto de Alexandra Couto/Lusa

O insólito aconteceu com os funcionários de uma empresa de calçado em Arouca que foram despedidas através de sms enviado pelos "administradores" da mesma na passada quinta-feira, 26-08, numa altura em que ainda não tinham recebido os seus salários.
Segundo a agência Lusa, as 18 pessoas que trabalham na fábrica de calçado de Arouca receberam, na passada quinta feira, a seguinte mensagem no telemóvel, sem qualquer assinatura e a partir de um número desconhecido: “A partir de segunda feira, a empresa vai fechar. Vão receber a carta para o desemprego”.
Lina Cardoso recordou que recentemente as 18 trabalhadoras fizeram horas extra, muito embora tenha ouvido que as «Finanças vieram aqui para buscar as máquinas», apesar de não ser do conhecimento das trabalhadoras que a Pinhosil tivesse dívidas.

Ouvida pela TSF, outra das funcionárias da Pinhosil explicou que as trabalhadoras foram de férias a 6 de Agosto e que estas foram informadas que iriam receber na segunda-feira seguinte.
Por pagar está ainda, além das horas extra, metade do subsídio de Natal de 2009, o subsídio de férias de 2010 e os salários de Julho e Agosto.

«Até hoje não recebemos nada. E durante estas férias, na quinta-feira passada, recebemos uma mensagem em que a empresa ia fechar e a partir de segunda-feira iríamos receber uma carta para o fundo de desemprego», adiantou Lina Cardoso.

Concentrada junto com as suas colegas à porta da empresa, esta trabalhadora lembrou que ninguém disse para que as funcionárias não se apresentassem no seu local de trabalho e considerou que «esta não é forma de se fechar a empresa», através de um sms. Para as trabalhadoras os patrões fazem “gato- sapato das pessoas”.

«Ele não nos diz nada e também não nos devemos ir embora. Tentámos falar com o patrão, mas ele não atende. Mandámos mensagem, mas ele não aparece», acrescentou esta funcionária, que disse que não faltavam encomendas à empresa.

«Trabalhávamos para várias empresas, algumas há vários anos. Ele dizia que as empresas pagavam certinhas», concluiu esta funcionária despedida na quinta-feira por sms.
Fernanda Moreira, dirigente do Sindicato dos Operários da Indústria do Calçado, Malas e Afins dos Distritos de Aveiro e Coimbra, disse à Lusa que “a Pinhosil sempre foi uma empresa que deu problemas, pagava mal e nunca entregava os subsídios por inteiro (…) mas não é assim que se tratam as pessoas”.
“Legalmente”, acrescenta, “a empresa tem que comunicar aos trabalhadores que vai iniciar o processo de insolvência – se for esse o caso – e depois falar com o pessoal e entregar todos os papéis necessários para o desemprego”.
Fernanda Moreira diz ainda: “Se o patrão não entregar as cartas, tem que ser a Inspecção do Trabalho a conduzir o processo. Mas como a Inspecção só pode intervir ao fim de alguns dias e depois ainda há outros prazos a cumprir, podem-se passar três semanas até as pessoas poderem pedir o subsídio de desemprego”. (clique)

A Pinhosil abriu há quatro anos. O proprietário, Manuel Pinho Silva, detinha antes a Pinho Oliveira, também de Arouca, cujo encerramento, segundo os funcionários da Pinhosil (todos transferidos da empresa anterior), “nunca foi bem explicado”.

Video extraído de www.rtp.pt

Outros Casos ocorridos na região do Porto durante o mês de Agosto :

Em Lousada, a empresa de confecções Andradress, encerrou para férias em 18 de Agosto e já não volta a abrir. Os 45 trabalhadores, na maioria mulheres, foram informados do encerramento por advogados contratados pela empresa. As trabalhadoras foram surpreendidos pelo encerramento, até porque antes de férias fizeram horas extraordinárias para acabar uma encomenda de 18.000 camisas.

Em Paços de Sousa, Penafiel, a fábrica de confecções Nelbruvest já não vai abrir, lançando 70 pessoas, na maioria mulheres, no desemprego. As trabalhadoras foram despedidas por carta que receberam do patrão da fábrica. Uma trabalhadora da fábrica, Fátima Vieira, disse à agência Lusa que a fábrica encerrou para férias no dia 13 de Agosto, mas no dia seguinte as operárias foram avisadas por vizinhos para a retirada de máquinas da empresa. Dirigindo-se à fábrica as operárias perguntaram ao patrão se estava, o que ele negou, garantido que a empresa abriria a 6 de Setembro. Dias depois, no entanto, as operárias começaram a receber cartas de despedimento, onde “o patrão justificava o despedimento com dificuldades financeiras e a desconsideração manifestada pelos funcionários”, revelou Fátima Vieira. Segundo os seus cálculos a empresa deve a cada trabalhador cerca de 2.200 euros.

Pela amostra destes casos, ocorridos apenas durante o mês de Agosto e numa área circunscrita do país, conseguimos entender sem dificuldades as preocupações do responsável pelo maior partido da oposição relativamente à urgência em alterar a lei dos despedimento no nosso país. Existirão dúvidas sobre a necessidade de liberalizar o despedimento de trabalhadores por "razões atendíveis" como defende este dirigente político que ambiciona ser 1.º ministro de Portugal? A situação destes trabalhadores e dos mais de 600.000 desempregados inscritos nos centros de emprego de todo o país responde à questão...

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Governo quer tornar os Seguros de Saúde vitalícios obrigatórios

"O Governo quer instituir os seguros de saúde vitalícios em Portugal, o que significa que as seguradoras não vão poder cancelar os seguros, como já acontece. O problema é que “estes seguros não são obrigatórios”, ao contrário do que defendem os representantes dos consumidores.
Quando um consumidor contrata um seguro de saúde, este pode ser cancelado pela seguradora ao fim de um ano. É este o cenário actual e que o Governo se propõe alterar. O objectivo é garantir um maior “equilíbrio entre os direitos dos consumidores e a protecção da mutualidade”, justifica no anteprojecto de decreto-lei, em discussão pública até dia 23.
Além dos seguros de regime geral, em regra renováveis anualmente, alarga-se os prazos de renovação e cria-se o seguro de saúde de cobertura graduada (só podem ser excluídas doenças pré-existentes ou no prazo de três meses após a contratação) e o seguro de saúde vitalício.
Os seguros vitalícios são uma reivindicação antiga da Deco, mas uma das objecções que a associação irá fazer ao anteprojecto é a falta de obrigatoriedade do mesmo. Em França e no Brasil, por exemplo, são obrigatórios.
“Uma vez contratado um seguro vitalício, a seguradora não pode recusar a renovação ou impor exclusões(...)" Fonte: Diário de Notícias
Para a APP - Associação Portuguesa de Psicogerontologia os seguros de saúde vitalícios devem ser obrigatórios. (Clicar)

Espero que este anteprojecto de Decreto-Lei do Governo, em discussão pública até dia 23, seja efectivamente aprovado porque os direitos dos consumidores devem estar salvaguardados, para mais quando estamos a falar de seguros de saúde.

Uma medida importante sobretudo quando nas últimas semanas responsáveis políticos de determinado partido apresentam como única medida para melhorar o Sistema Nacional de Saúde (SNS) a restrição do acesso da maioria dos portugueses a este serviço público, deixando-lhes como única alternativa a utilização dos serviços privados de saúde caros. O SNS ficaria apenas acessível a cidadãos indigentes, serviços esses cuja sua qualidade seria mínima.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Prolongamento de horário nas escolas assegurado pela CMA


A continuidade do prolongamento de horário nas escolas para o ano lectivo 2010/2011, consubstanciado no Programa Aprender&Brincar – Componente de Apoio à Família (CAF), cujo o principal objectivo visa acompanhar as crianças do 1.º Ciclo e/ou Jardim-de-infância no estabelecimento de ensino que frequentam, fora do horário lectivo e das Actividades de Enriquecimento Curricular (AEC), foi aprovado pela Câmara Municipal da Amadora.

Neste âmbito foi aprovado igualmente a tabela de comparticipação e a minuta do protocolo a celebrar com as entidades gestoras (instituições de solidariedade social, associações e juntas de freguesia).

Vale a pena relembrar que este programa foi implementado de forma pioneira no concelho há já oito anos. O programa, conhecido como “prolongamento de horário”, tem vindo a cobrir um maior número de escolas e consequentemente abrangido um maior número de famílias, estando neste momento implementado em 11 agrupamentos de escola.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Calçada da Rua Afonso de Albuquerque que se encontrava em mau estado já foi Intervencionada !!!

Aspecto da calçada na Rua Afonso de Albuquerque após intervenção da Junta de Freguesia




É com satisfação e sentido de dever cumprido que venho informar que a calçada que se encontrava em mau estado na Rua Afonso de Albuquerque, conforme ainda ontem dei conta aqui no blog, se encontra completamente concertada.

A celeridade com que a situação foi intervencionada, por parte da Junta de Freguesia da Venteira, merece um elogio público.

A forma como esta situação foi resolvida que a participação cívica pode contribuir de forma elevada para a melhoria da qualidade de vida da nossa freguesia.
Exorto todos no sentido de me fazerem chegar relatos de situações que se passam na freguesia e que considerem merecedoras receber um elogio ou um reparo público aqui no blog.
Se as mesmas forem acompanhados de suporte fotográfico constiui sempre uma mais valia.
Email de contacto: venteiraviva@gmail.com

domingo, 11 de julho de 2010

Calçada em mau estado na Rua Afonso de Albuquerque

Estado da calçada na Rua Afonso de Albuquerque
A calçada na Rua Afonso de Albuquerque, mais concretamente frente à loja da vodafone, encontra-se em mau estado conforme as imagens demonstram.

Esta situação merece uma célere resolução de forma a evitarem-se potenciais acidentes, em particular com as transeuntes mais idosas que por ali passam.

Já remeti esta informação para a Junta de Freguesia da Venteira que é a entidade competente nesta matéria - reparação de calçadas - em virtude do Protocolo de Descentralização firmado, já há alguns anos, com a Câmara Municipal da Amadora.

Tenho a convicção que a reparação desta calçada será célere uma vez que, pelo conhecimento que tenho, os serviços da Junta sofreram nos últimos meses uma significativa melhoria na capacidade de resposta a este tipo de intervenções.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Câmara Municpal da Amadora leva a cabo a 3.ª edição do "Amadora Empreende"

A Câmara Municipal da Amadora leva a cabo a 3.ª Edição do "Amadora Empreende", um programa municipal que tem como objectivo central a identificação de ideias viáveis de negócio e a facilitação dos seus percursos concretizadores, prevendo como resultado a criação de empresas, cooperativas ou associações no município.
Promover a capacidade concretizadora dos jovens e a inclusão dos públicos em situação de fragilidade social são as directrizes destas novas empresas a criar.

“Tem uma ideia de negócio? Venha daí!”. Este é um dos reptos lançados pela Câmara Municipal da Amadora.

O Amadora Empreende é dividido em dois programas:

- Quick: destinado a jovens residentes no concelho até aos 30 anos de idade e que queiram criar um negócio ou empresa no concelho da Amadora, bem como empresas ou associações sedeadas no território e que queiram desenvolver um novo projecto ou ideia. As melhores ideias têm acesso à Incubadora Quick, no Centro de Juventude da Amadora.

- “Quem não Arrisca não Petisca”: destinado a qualquer pessoa com idade compreendida entre os 16 e os 65 anos, com nacionalidade portuguesa ou autorização de residência, que queira criar um negócio ou empresa com sede no concelho da Amadora. Os vencedores, entre outros apoios, podem instalar a empresa numa loja da Câmara Municipal da Amadora.

Calendário 2010
Fase I – Recepção de candidaturas: de 14 de Junho a 2 de Agosto
Fase II – Selecção do Potencial Empreendedor: de 3 de Agosto a 20 de Setembro
Fase III – Formação: de 18 de Outubro a 19 de Novembro
Fase IV – Implementação e desenvolvimento dos projectos: a partir de Dezembro

Tens uma ideia de negócio? Esta pode ser a tua oportunidade!!!!

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Exposição "Ateliês da Junta de Freguesia - de 02 de Julho a 27 de Agosto de 2010



Vai ser inaugurada amanhã, dia 02-7-2010, pelas 18.30 horas, na Biblioteca José Régio na Venteira, sita na Avenida Dom Nuno Álvares Pereira 8 B, 2700-256 Amadora, a Exposição "Ateliês da Junta de Freguesia".
Esta exposição vai estar patente até ao dia 27-08-2010.
Informações:
Telef: 21 494 35 48 / 93 494 35 48
Horário: 9h30 às 17h30

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Não foi concluída a Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia que ontem se realizou


Da sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia ontem realizada, apenas foram votados e aprovados os dois primeiros pontos da ordem de trabalhos, tendo em consideração o adiantado da hora - já passava da meia noite - foi acordado entre as diversas forças respresentadas na Assembleia adiar a conclusão desta assembleia para a próxima segunda feira, dia 28 de Junho, às 21h30.

Esta assembleia foi marcada pelo vivo debate ocorrido entre os vários intervenientes no período antes da ordem de trabalhos, dos quais realço a presença de algums moradores da freguesia que não deixaram de colocar algumas questões, o que vivamente se saúda.

Os dois pontos da ordem de trabalhos foram votados da seguinte forma:


O Ponto n.º 1 - "Apreciação para aprovação da proposta para a 1.ª Revisão às Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2010, nos termos do disposto na alínea a) do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro", foi aprovado com 7 votos favoráveis (5 do PS + 2 do PCP), uma abstenção do representante do CDS/PP e 5 votos contra repartidos provenientes das bancadas do PSD (3) + CIPA (1) e BE (1).


O Ponto n.º 2 - "Apreciação para aprovação do Mapa de Pessoal dos serviços da Junta de Freguesia, conforme disposto na alínea m) do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro." foi aprovado com 7 votos favoráveis (5 do PS + 2 do PCP), duas abstenções(CIPA + BE) e 4 votos contra provenientes das bancadas do PSD (3) + CDS/PP (1).

terça-feira, 22 de junho de 2010

Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia - Dia 23 de Junho (4.ª Feira)


No próximo dia 23-06-2010 (4.ª Feira), pelas 21h00, na Sede da Junta de Freguesia da Venteira, sita na Rua 1.º de Maio, 39 A, vai ter lugar uma Sessão Ordinária da Assembleia de Freguesia, cuja ordem de trabalhos é a seguinte:

Ponto n.º 1 - Apreciação para aprovação da proposta para a 1.ª Revisão às Grandes Opções do Plano e Orçamento para 2010, nos termos do disposto na alínea a) do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.
Ponto n.º 2 - Apreciação para aprovação do Mapa de Pessoal dos serviços da Junta de Freguesia, conforme disposto na alínea m) do n.º 2 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.
Ponto n.º 3 - Apreciação da Informação da Sra. Presidente da Junta, conforme o disposto na alínea O) do n.º 1 do art.º 17.º, da Lei n.º 169/99 de 18 de Setembro, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 5A/2002 de 11 de Janeiro.
Relembro que no período antes da Ordem de Trabalhos existe sempre um tempo reservado à intervenção do público que poderá colocar questões ou pedir esclarecimentos sobre assuntos do interesse da Freguesia. Naturalmente o uso da palavra será concedido pelo Presidente da Mesa, mediante prévia inscrição dos interessados que será feita na hora.
Participa! A participação é uma forma de cidadania!!!

domingo, 20 de junho de 2010

José Saramago (1922-2010) - Desaparecimento de vulto para a literatura portuguesa


A morte de José Saramago, aos 87 anos, constitui uma perda irreparável para Portugal, para o povo português, para a cultura portuguesa.

José Saramago foi uma personalidade com uma dimensão artística e intelectual de um enorme relevo nacional e internacional, consubstanciado na sua notável e singular obra literária, reconhecida em 1998 com a atribuição do Prémio Nobel da Literatura, aliás o único Nobel literário atribuído à nossa língua.

Interveniente activo na resistência ao Estado Novo, o primeiro sinal de acção política de José Saramago data de 1948-49, no âmbito da candidatura do general Norton de Matos a Presidente da República, em oposição ao candidato do regime, o também general Óscar Carmona. O corajoso acto custou o emprego a Saramago na Caixa de Abono de Família da Indústria da Cerâmica. Só no ano seguinte conseguiu nova colocação, na Caixa de Previdência da Companhia Indústrias Metálicas Previdente.

A adesão ao PCP, acontecida em 1969, ano seguinte à da substituição de Salazar por Marcelo Caetano em São Bento

Saramago revelou-se, muitas vezes, incómodo, quando não provocador, para os poderes estabelecidos.

Em 1988 subscreve o Manifesto reformista da ‘Terceira Via’. onde três centenas de militantes do PCP que o fizeram reivindicavam maior democracia interna, em harmonia com os ventos da ‘perestroika’ soprados por Gorbachov na União Soviética.

Em 2002 causou clamor em Israel ao comparar “o espírito de Auschwitz - campo de concentração nazi - ao espírito de Ramallah [cidade palestiniana na Cisjordânia, ocupada por Israel”.

Mais recentemente dá novo sinal contrastante exprimindo apoio ao socialista José Luís Zapatero na corrida para renovação de mandato de chefe do Governo nas eleições legislativas espanholas de 9 de Março de 2008.

A nível literário: "A actividade Literária de Saramago é diversa - poesia, teatro e ensaio - mas expressa mais o seu talento nos romances. Desde o primeiro romance "Manual de Pintura e Caligrafia" (1977) que o autor escreveu já com 55 anos e "Levantado do Chão" (1980) que revelou o nome do escritor, o nome de José Saramago ganha maior valor cada vez que se edita nova obra. Numa dezena de anos tomou-se o escritor mais popular na literatura portuguesa e até um dos autores europeus que mais prémios internacionais da literatura recebeu. As suas obras são publicados simultaneamente em Portugal e no Brasil e muitas delas imediatamente traduzidas nas línguas europeias.

A maravilha da escrita de Saramago está, resumidamente, na capacidade que ele manifesta e na consideração sincera que exprime, ao abordar os problemas essenciais que as pessoas, a sociedade e a literatura contemporâneas enfrentam, tratando sempre temas totalmente diferentes.

De uma obra à outra Saramago expressa esses temas num estilo característico que diverte os leitores. Todas as obras são profundamente significativas, exprimem a confiança nos homens e atraem e dominam os corações dos leitores.

José Saramago ilumina a nova realidade histórica com a ideologia cruzando as vidas do povo oprimido e os acontecimentos históricos. Mais uma característica sua é ser o artífice da palavra utilizando à vontade a sua eloquência mimética do barroco, a imagem realista e pitoresca e o humor. Com este estilo próprio ele conta calmamente problemas sérios e histórias atrozes.

O melhor exemplo talvez seja o "Memorial do, Convento" (l982), que o divulgou internacionalmente, em que descreve o povo pobre forçado a construir um convento gigantesco sob o projecto do ditador D. João V, a vida luxuosa da corte, a execução dos hereges em frente da multidão excitada e a mulher vidente que retira as almas dos mortos para fazer um avião voar.

N’ "O Evangelho segundo Jesus Cristo" (1991), obra que causou grande polémica e levou Saramago a emigrar para a ilha de Lanzarote, no arquipélago das Canárias, o autor põe em questão o significado do pecado, o mito dos personagens e também problematizou o dogma da autoridade.

Não posso esquecer n’ "A Jangada de Pedra" (1986), a história fantástica em que a Península Ibérica larga o continente e flutua em direcção ao Ocidente. Reconhece-se a importância do amor na obra "Ensaio sobre a Cegueira" (1995), em que todas as pessoas cegam subitamente.

A sua mais recente obra é "Todos os Nomes" (l997). Há 5 anos que Saramago tem editado o seu diário sob o título de "Cadernos de Lanzarote". In Instituto Camões (Clicar)


Saramago utilizou a sua vocação para as letras para lutar pela justiça e decência humanas.

A frase: "Sem ou com o Nobel, o valor das minhas obras não se modifica"



Biografia Literária de José Saramago (Clicar)

Homenagem feita por vários actores brasileiros a José Saramago (Clicar)

Em homenagem a José Saramago, a selecção nacional de futebol, decidiu ouvir o hino no encontro com a Coreia do Norte, no Mundial de 2010, com fumos negros (Clicar)

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Creche Municipal da Venteira abre em Setembro com 48 vagas para crianças até aos 3 anos


Na sequência da cedência de utilização da Creche Municipal da Venteira à AFID – Associação Nacional de Famílias para a Integração da Pessoa Deficiente, conforme referenciado neste blogue no passado dia 30-03-2010 (Clicar), a Câmara Municipal da Amadora vai disponibilizar uma verba de 65 mil euros para se proceder a obras de requalificação e beneficiação do espaço, isto tendo em conta que este equipamento infantil nunca teve uma intervenção significativa durante os seus 25 anos de existência.

As obras decorrerão durante o período de férias e destinam-se à criação de um berçário e sala parque, requalificação de wc’s e impermeabilização do telhado, bem como a aquisição de mobiliário.

Este equipamento de enorme importância para a nossa freguesia estará em funcionamento a partir do mês de Setembro, disponibilizando 48 vagas para crianças até ao 3 anos.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

"Cidadãos europeus, Uni-vos!" - Para reflexão


Acabei de ler o texto infra, da autoria do sociólogo Boaventura Sousa Santos, e confesso que não resisti a partilhá-lo com os leitores no blogue.
A abordagem realizada pelo autor parece-me inteligente e julgo ser muito interessante para uma profunda reflexão.
Deixo-vos com o texto integral publicado na revista visão, em 2 de junho de 2010.

"Os dados estão lançados, o jogo é claro e quanto mais tarde identificarmos as novas regras mais elevado será o custo para os cidadãos europeus. A luta de classes está de volta à Europa e em termos tão novos que os actores sociais estão perplexos e paralisados. Enquanto prática política, a luta de classes entre o trabalho e o capital nasceu na Europa e, depois de muitos anos de confrontação violenta, foi na Europa que ela foi travada com mais equilíbrio e onde deu frutos mais auspiciosos. Os adversários verificaram que a institucionalização da luta seria mutuamente vantajosa: o capital consentiria em altos níveis de tributação e de intervenção do Estado em troca de não ver a sua prosperidade ameaçada; os trabalhadores conquistariam importantes direitos sociais em troca de desistirem de uma alternativa socialista.

Assim surgiram a concertação social e seus mais invejáveis resultados: altos níveis de competitividade indexados a altos níveis de protecção social; o modelo social europeu e o Estado Providência; a possibilidade, sem precedentes na história, de os trabalhadores e suas famílias poderem fazer planos de futuro a médio prazo (educação dos filhos, compra de casa); a paz social; o continente com os mais baixos níveis de desigualdade social.

Todo este sistema está à beira do colapso e os resultados são imprevisíveis. O relatório que o FMI acaba de divulgar sobre a economia espanhola é uma declaração de guerra: o acumulo histórico das lutas sociais, de tantas e tão laboriosas negociações e de equilíbrios tão duramente obtidos, é lançado por terra com inaudita arrogância e a Espanha é mandada recuar décadas na sua história: reduzir drasticamente os salários, destruir o sistema de pensões, eliminar direitos laborais (facilitar despedimentos, reduzir indemnizações).

A mesma receita será imposta a Portugal, como já foi à Grécia, e a outros países da Europa, muito para além da Europa do Sul. A Europa está a ser vítima de uma OPA por parte do FMI, cozinhada pelos neoliberais que dominam a União Europeia, de Merkel a Barroso, escondidos atrás do FMI para não pagarem os custos políticos da devastação social.

O senso comum neoliberal diz-nos que a culpa é da crise, que vivemos acima das nossas posses e que não há dinheiro para tanto bem-estar. Mas qualquer cidadão comum entende isto: se a FAO calcula que 30 mil milhões de dólares seriam suficientes para resolver o problema da fome no mundo e os governos insistem em dizer que não há dinheiro para isso, como se explica que, de repente, tenham surgido 900 mil milhões para salvar o sistema financeiro europeu? A luta de classes está a voltar sob uma nova forma mas com a violência de há cem anos: desta vez, é o capital financeiro quem declara guerra ao trabalho.

O que fazer? Haverá resistência mas esta, para ser eficaz, tem de ter em conta dois factos novos. Primeiro, a fragmentação do trabalho e a sociedade de consumo ditaram a crise dos sindicatos. Nunca os que trabalham trabalharam tanto e nunca lhes foi tão difícil identificarem-se como trabalhadores. A resistência terá nos sindicatos um pilar mas ele será bem frágil se a luta não for partilhada em pé de igualdade por movimentos de mulheres, ambientalistas, de consumidores, de direitos humanos, de imigrantes, contra o racismo, a xenofobia e a homofobia.
A crise atinge todos porque todos são trabalhadores.

Segundo, não há economias nacionais na Europa e, por isso, a resistência ou é europeia ou não existe. As lutas nacionais serão um alvo fácil dos que clamam pela governabilidade ao mesmo tempo que desgovernam. Os movimentos e as organizações de toda a Europa têm de se articular para mostrar aos governos que a estabilidade dos mercados não pode ser construída sobre as ruínas da estabilidade das vidas dos cidadãos e suas famílias. Não é o socialismo; é a demonstração de que ou a UE cria as condições para o capital produtivo se desvincular do capital financeiro ou o futuro é o fascismo e terá que ser combatido por todos os meios."

Consulte outros artigos do mesmo autor (Clicar)

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Desporto de Rua na Amadora - de 5 de Junho a 26 de Setembro

Ilha Mágica do Lido - Foto: Pedro Repolho


Com o objectivo de promover a prática desportiva ao ar livre e consequentemente incutir na população hábitos saudáveis de prática de actividade física de forma regular e sistemática, a Câmara Municipal da Amadora vai realizar entre 5 de Junho a 26 de Setembro (exceptuando o mês de Setembro), mais uma edição do "Desporto de Rua"em vários parques do município: Ilha Mágica do Lido, Parque Central, Parque Aventura, Jardim Luís de Camões, Parque Urbano do Zambujal e Percurso Pedonal junto à Estação de Metro Amadora-Este.

O programa de actividades conta com as parcerias das entidades Club L Villa Park, Federação Portuguesa de Xadrez, Universidade de Yoga e Viva Fit, que realizam gratuitamente as sessões inseridas no âmbito do projecto.

As actividades disponíveis compõem-se em dois blocos: Condição Física (Body Balance, Body Vive, Body Jam, Body Combat, Body Attack, Bootcamp, Treino Funcional, Pilates, Yoga, Fitball e Stretching) e Bloco de Recreação (Bebés&Comp.ª, Kids, Kung Fu, Hip Hop, Skate, Esgrima, Patins, Ténis de Mesa, Step, Xadrez, Slide e Jogos Tradicionais), perfazendo um total de 37 sessões.

Na Ilha Mágica do Lido (Venteira), nos domingos de 27 de junho, 25 de Julho e 26 de Setembro, estão previstas as seguintes actividades:
- Bebés & Comp.ª,
- Esgrima,
- Ténis de Mesa,
- Kids,
- Skate e Patins,
- Kung Fu e
- Hip Hop

PARTICIPAÇÃO LIVRE DE ENCARGOS !!!

Consulte Todo o Programa (Clicar)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Exposição de Pintura: No Olhar o Sentir de Carlos Franco

Aguarela de Carlos Franco - Eléctrico na Praça do Comércio

Vai ser inaugurada a exposição: No Olhar o Sentir de Carlos Franco, no dia 28 de Maio, pelas 18.30 horas, na Biblioteca José Régio na Venteira, sita na Avenida Dom Nuno Álvares Pereira 8 B, 2700-256 Amadora. Informações Telef: 214943548
Acrílico de Carlos Franco - "Pura Sedução"

Observe outros trabalhos do artista (clicar)

Página de Carlos Franco (clicar)

"Desde cedo descobri no traço e na côr, na textura do papel, rotas de sentidas viagens.É tudo isto que proponho partilhar convosco." - Carlos Franco

Entrada livre de Encargos !!!